ALGUNS ACONTECIMENTOS EM 1986

Em 1986, o GREBAL, que já apoiava o Esperanto, começou um trabalho parecido com que o MOBEC fazia, tentando trazer para perto de si as outras artes, e os outros grêmios ainda existentes. Na reunião de 25 de março de 1986 foi criada a comissão de teatro, presidida pelo diretor Alan Carlos Rocha e composta por Maria de Lourdes Pamplona Chiesse de Castro, Sulamita Souza Brandão, Paulo Rocha e José Lourenço. O GRECAB passou a realizar ensaios periódicos na sede do GREBAL. Na ata seguinte, o presidente Francisco Nogueira informou que esteve com a ex-presidente do GREBAM, Neusa Gomide Richa, e a convidou a ingressar no GREBAL, para que fosse criada a comissão de música, com ela na presidência. A comissão de teatro foi modificada em agosto de 1986, quando ingressaram Lair Alexandre e Nestor Chiesse Coutinho no lugar de Paulo Rocha e Sulamita Souza Brandão. A grebalista Sulamita passou a presidir a comissão de teatro jovem, composta por Rita Procópio, Sônia dos Santos, Lindalva de Freitas Aguiar e João Roberto Silva. O nome da comissão de teatro passou a ser “Comissão de Apoio ao GRECAB”.

Na ata de 19 de agosto de 1986, o presidente Francisco Nogueira informou que iria lançar mais um jornal, desta vez com o grebalista Evandro Marques. O novo jornal teria o título de “Tribuna Fluminense”. Francisco Nogueira pediu aos grebalistas para utilizar a sede do Grêmio como escritório temporário. Em compensação, já a partir de setembro e até que o periódico se transferisse para outro local, o jornal pagaria as contas de luz e água. O pedido foi aceito.

Em 5 de novembro de 1986, um novo concurso foi aprovado pela diretoria. Em parceria com o Conselho Municipal de Cultura, o “Concurso Municipal de Contos” foi lançado. Os prêmios foram em dinheiro: 1º lugar: Cz$4.000,00; 2º lugar: Cz$3.000,00; 3º: Cz$2.000,00; 4º lugar: Cz$1.000,00; 5º lugar:Cz$500,00. Participaram desse concurso autores residentes em Barra Mansa e estudantes de 2º grau ou nível superior, não-residentes, mas matriculados em escolas da cidade. Sessenta e sete autores participaram do concurso, que foi julgado por Álvaro Luiz Carelli Pereira (presidente do Conselho Municipal de Cultura e superintendente da FEBAM), Júlia Guimarães de Castro (professora de Língua Portuguesa no Colégio Municipal Marcello Drable e no Colégio Verbo Divino) e Tânia Martins Monteiro (professora de Literatura Portuguesa na Faculdade Dom Bosco, de Resende, e professora de Português no curso básico da SOBEU). Em 1º lugar ficou Jane Chiesse Zandonade, com o conto “A Sobrevivência das Flores”. Em 2º Luíza Helena Oliveira da Silva, com “Amor de Maria”. O 3º lugar coube a Tânia de Lima Chiesse, com o conto “A Desconhecida”. Em 4º ficou Dirceu Avellar, com “Zé Pretinho”, e na 5ª colocação, Eliette Ferreira, com o conto “Predestinado”. Desse concurso saiu um livro com 110 páginas, lançado em junho de 1987, intitulado “Contos Selecionados – I Concurso Municipal de Contos”. Na solenidade de premiação, que ocorreu em 24 de junho de 1987, o vice-presidente Alan Carlos Rocha leu o seguinte discurso do presidente Francisco Nogueira Mendonça:

“O primeiro Concurso Municipal de Contos foi uma estréia do GREBAL em promoção conjunta com o Conselho Municipal de Cultura, em boa hora reformulado e reconstituído pelo Prefeito Luiz Amaral. O conto tem sido um dos gêneros mais cultivados em nosso meio literário. Nos anos de 1977 e 1978, em concursos regionais promovidos pelo jornal “O Sul Fluminense”- então dirigido por Juarez Modesto – que contaram com apoio de nosso Grêmio, muitos autores de Barra Mansa e das cidades vizinhas tiveram excelente oportunidade para divulgação de seus trabalhos, aliás uma oportunidade excepcional, pois os textos foram publicados naquele jornal com ilustrações, sem nenhuma despesa para os autores. Por essa importante contribuição ao nosso desenvolvimento literário, o Jornalista Juarez Modesto recebeu, posteriormente, o diploma de Membro Benemérito do GREBAL. Todo concurso encerra forte estímulo à produção literária.
Até hoje, nos seus treze anos de atividade ininterrupta, o GREBAL já realizou vários. Através deles procuramos incentivar o cultivo da poesia, da crônica e do conto. A participação do Conselho Municipal de Cultura e o estimulante apoio da Administração Luiz Amaral, tem na origem duas razões de ser, uma,a de sua utilidade real, renovada ou recriada pelo atual Governo, outra a de comporem o Conselho nada menos de 13 grebalistas, entre eles o Presidente Álvaro Luiz Carelli Pereira e o Vice-Presidente, Juarez Modesto, figuras de relevo de nosso meio sócio-cultural. Terminamos renovando agradecimentos à sua excelência o Prefeito Luiz Amaral, nosso ilustre associado desde os primeiros dias da entidade, bem como a todos que contribuíram para o êxito do concurso e para o brilhantismo dessa noite decongraçamento”.

Em 1987, no 3º Concurso de Contos do GLAN (Grêmio Literário de Autores Novos), de Volta Redonda, 8 grebalistas foram premiados.