prosa

O Bem e o Mal

O Bem e o Mal



por Asséde Paiva


É grandiosa a eterna luta, o dilema do Bem e do Mal.


Não te deixes vencer pelo mal, mas vence o mal com o bem.
Rm 12,21


Falemos alguma coisa sobre extremos: o bem e o mal, tema que muitos e competentes filósofos desenvolveram ad nauseam. O assunto é inesgotável, vou pôr minha colher de pau, sem pretensões maiores do que gastar poucas linhas. É mister pedir que me concedam o benefício de pelo menos tentar escrever sobre tão instigante tema.. Eu, por exemplo, me considero bom homem, e reconheço que tenho graves defeitos, sempre procuro vencê-los pelo cansaço e aplicação do salmo 140 que diz: “Ponde, senhor, uma guarda na minha boca. E uma sentinela à porta dos meus lábios. Não permitais se incline ao mal o meu coração”.

É grandiosa a eterna luta, o dilema do Bem e do Mal.

Avatares, sábios, filósofos, magos, bruxos e sacerdotes estudam, examinam batalham, digladiam e jamais esgotam todas as facetas desta problemática que envolve a humanidade desde o alvorecer dos tempos.

Aprendi a ler nas entrelinhas, nas frases colhidas aqui e ali, e vamos desvendar as trilhas desse gigantesco embate, de forças tão antagônicas e poderosas que procuram o controle do Universo.

É uma viagem fantástico penetra nas profundezas de nosso id, sobrenada a nosso ego e emerge ao Eu. Eu e você aprendizes temos de filosofar, raciocinar, com a velocidade do pensamento. Temos que fazer a escolha entre o bem e o mal. Que o Grande Arquiteto do Universo nos ilumine nessa viagem filosófica.

Aprendizes somos; conscientes estamos de que temos muitas viagens a fazer, mundos a percorrer, esferas a ascender, evoluir seguindo as ordens do Mestre dos Mestres que disse claramente: “Na casa do meu Pai há muitas moradas”.

Consideremos que o Planeta Terra é uma das moradas. E aqui se passa a maioria dos dramas e fatos da história. E nós passageiro transitórios, temos que nos aperfeiçoar, pois não há outra opção.

Quem vencerá: o mal ou o bem?

Seja como for, quero dar uma alerta: O bem e o mal são lados de uma só moeda, e o que acontece, muitas vezes confunde os dois: ora, o bem é mal; ora, o mal é bem. Tudo depende do foco. Em nós reside um tanto de d.r Jekyll e outro de senhor Hyde, como no conto O Médico e o Monstro. E voltamos ao velho princípio metafísico: “O que está em baixo está em cima”.

O importante é o conhecimento.

Aliás, como no oráculo de Apolo: Nosce te ipsum [Conhece-te a ti próprio].

Seguem excertos sobre o bem e mal para exame dos leitores e leitoras:

O mal e o bem disputam a posse do coração: A tristeza e a Alegria são o quinhão predestinado do Homem. Não viva no terror dos planetas. Os planetas são mil vezes mais impotentes que nós. (Omar Khayaam).

...como Deus sereis conhecedores do bem e do mal (Gn 3,5).

O homem é mau por natureza. Sua bondade é adquirida (Husün-tzu).

Se o poder do maligno fosse tão pequeno, como pretendem alguns, o mundo não teria precisado que a própria divindade descesse até ele, ou estaria em poder do homem tornar o mundo bom, o que não aconteceu até o dia de hoje (Jung).

Seja qual for a posição metafísica do Diabo, o Mal, no âmbito da realidade psicológica, significa uma limitação efetiva e mesmo ameaçadora do Bem, de modo que nada adianta dizer que não é somente a noite e o dia que se contrabalançam, neste mundo, mas também o Bem e o Mal, e que este é o motivo pelo qual a vitória do Bem implica sempre numa atuação especial da graça (Jung).

Fazer o bem a vilões é jogar água ao mar (Cervantes).

O bem, o mal é tudo igual (Shakespeare).

Ninguém pratica o mal só pelo mal. Até o diabo tem suas razões e cada qual julga as suas mais fortes (Inré Madach).

Se alguém pratica o bem, que reincida e se regozije nele, pois do bem resulta deleite. (Budismo).

Nada é comparável a bondade (Jatacas).

O homem superior busca o que é correto; o inferior, o que é lucrativo (Confucionismo).

Melhor que aquele que conhece a retidão é aquele que ama a retidão (Confucionismo).