PERFIL

Saiba um pouco mais sobre os autores e escritores do Grebal

José Fleming

José Fleming, atual presidente do GREBAL, contista, autor dos livros Balaio de Paiol, Contos da Lua Negra e Peneira Furada

UMA BIOGRAFIA SUI GENERIS -

Conheço o José Fleming de alguns anos atrás.
Nasceu em Conceição do Rio Verde, lá nos “cafundós” de Minas Gerais.
Casca da árvore dos Almeida Fleming - do ramo irlandês vindo de Dublin - e dos Ribeiro e Oliveira, madeira de lei enraizada nos vales do sul de Minas.
Consta que aos doze anos escreveu um romance (inspirado no Robinson Crusoe) passado no Rio Verde, onde entrechocam-se pescadores, índios canibais, negros fugidos, onças pintadas, almas penadas de Bandeirantes, Curupiras, Mães D´água...
Trocou esse monte de cadernos por um punhado da revista DETETIVE, com as aventuras do Morcego Negro e do Detetive Fantasma.
No ano de 1943 sua família mudou-se para Volta Redonda.
Tempos depois, tornou-se órfão de pai. Deixou o colégio para cuidar da casa e da família.
Foi porteiro da Pensão São Jorge, caixeiro da Casa Tambasco, da Casa Cruz, vendedor de livros usados, nas férias, e distribuidor da revista Grande Hotel.
Em 1955 enganchou os pés nas ruas de Barra Mansa e não saiu mais da cidade.
Entrou na Dupont do Brasil, por baixo da cerca, e lá ficou até aposentar-se.
Não teve tempo nem para dar umas voltas pelas ruazinhas do Parque Centenário para ver os macaquinhos e as cotias. Foi logo agarrado pela camisa pelo Francisco Nogueira, que o arrastou para o GREBAL. No GREBAL continua até esta data ( 2011) desde 1987.
No GREBAL lembrou-se de que, quando menino, escrevera um livro. Aí, sua imaginação refloriu, desabrochou, espalhou : um poema aqui, um soneto ali, um conto cá, um livro acolá...
Participou de concursos; publicou trabalhos em jornais da cidade; recebeu premiações; publicou livros.
Sua imaginação é rica, inclui coisas do arco-da-velha.
Tem obras inéditas: um poema sobre a fundação de Brasília, outras... e outras...
Sua família é mirim.
Ajuntou os trapos com uma professora estadual, funcionária municipal, a pintora Papida. Filha: Mariza. Netos: Carol e Igor. Um “curumim”: Pietro.
No momento, ocupa a presidência do GREBAL – Grêmio Barramansense de Letras.

Prosas

O Mistério do Paraíso

Aconteceu na Fazenda da Posse


Poemas

Eros Volúsia