GREBAL

A HISTÓRIA DO GRÊMIO BARRAMANSENSE DE LETRAS

Fundação

Em 1º de março de 1975, os membros do MOBEC se reuniram para a apresentação da chapa da primeira diretoria do GREBAL, e decidiram marcara assembleia de fundação do Grêmio para o dia 6.


Em 1º de março de 1975, na sede da ACIAP-BM, cujo presidente na época era Dante Santos da Fonseca, os membros do MOBEC se reuniram para a apresentação da
chapa da primeira diretoria do GREBAL, e decidiram marcar a assembleia de fundação do Grêmio já para o dia 6. A secretária do MOBEC, Jane Maleck, expediu a todos um ofício de convocação, datado de 3 de março, com o seguinte teor:

“Convocação para a Assembleia de Fundação do GREBAL – GRÊMIO BARRAMANSENSE DE LETRAS: Por decisão do Conselho Deliberativo do MOBEC, em reunião no dia 1º do corrente mês, fica V. Sa. Convocado para a Assembleia de Fundação do GREBAL, a realizar-se às 20:00 horas do próximo dia 6, quinta-feira, na sede da Associação Comercial de Barra Mansa. AGENDA: A) Discussão e aprovação dos estatutos. B) Eleição e posse da primeira Diretoria. O Conselho Deliberativo adianta que concluiu sondagens para a formação da seguinte chapa, destinada à eleição da primeira Diretoria, a qual, entretanto, não impedirá a apresentação de outra ou outras, de livre iniciativa dos interessados. Esperando contar com sua presença, que dará sem dúvida maior importância ao acontecimento, subscreve, Jane Maleck
– Secretária.”

A chapa apresentada era composta pelos nomes: presidente: Francisco Nogueira Mendonça; vicepresidente: José Lourenço; 1º secretário: Jane Jorge Maleck; 2º secretário: Olavo Guilherme Marassi; 1º tesoureiro: Milton Rangel; 2ª tesoureira: Eliette de Oliveira Ferreira; bibliotecário: J. M. do Lago Leal. Para o Conselho Fiscal: Alan Carlos Rocha; Alexandre Pollastri Filho e Oswaldo Porto. Suplentes da Diretoria: Adilson Braz Ferreira; Iramar Maia Arbex e J. Augusto Amado e para suplentes do Conselho Fiscal: Oscar Marchi Nora e Tertuliano Feitosa. No dia 6 de março de 1975, na sede da ACIAP-BM, foi, então, oficialmente, fundado o GREBAL, tendo sido eleita por aclamação a diretoria descrita acima, pois não houve apresentação de outra chapa. Seu primeiro estatuto, projetado por Francisco Nogueira e revisado por Adilson Braz Ferreira, J. M. do Lago Leal, José Fagundes Pinto, Milton Rangel e Olavo Guilherme Marassi, também foi aprovado.
Nesse estatuto constava que a finalidade do Grêmio era incentivar o cultivo e as manifestações da arte literária, bem como assim prestigiar as atividades ornalísticas, no município, congregando e promovendo os valores locais. Os membros eram efetivos (residentes em Barra Mansa), correspondentes (moravam fora), beneméritos (receberiam esse título por benefício de monta ou relevante serviço prestado) e membro efetivo fundador (aquele que assinou a Ata de Fundação).

Para patrono foi escolhido Olavo Bilac. Os membros efetivos fundadores do GREBAL foram: Regina Maria Ferreira da Costa, José Fagundes Pinto, Francisco Nogueira Mendonça, Olavo Guilherme Marassi, J. M. do Lago Leal, Elliete de Oliveira Ferreira, José Lourenço, Jane Jorge Maleck, Iramar Maia Arbex, Jaime Rangel Leal, Adelaide da Cunha Franco, Milton Rangel, José de Oliveira, Oswaldo Porto e Alan Carlos Rocha. A associada número 1 (um) do GREBAL foi Adelaide da Cunha Franco. Começava a trajetória de lutas do Grêmio Barramansense de Letras.


Prédio da Associação Comercial, Industrial, Agropastoril e Prestadora de Serviços de Barra Mansa. Aqui diversas Instituições começaram, inclusive o GREBAL. Essa foi a primeira sede provisória do Grêmio.

Assinatura dos fundadores no livro de atas