grebalista ausente

Uma lembrança eterna do Grebal

Oswaldo Porto

Escritor, poeta, ex-presidente do GREBAL.

Oswaldo Porto nasceu em Resende-RJ, em 25 de fevereiro de 1914. Foi casado com Hilda Ramos Porto e teve três filhos, José Porto, Fernando Porto e Vera Marta Ramos Porto de Andrade. Era formado em Contabilidade, Bacharel em Direito e Relações Humanas. Exerceu as funções de fiscal da Secretaria de Finanças do Estado do Rio de Janeiro. Militou na política desde 1950; foi eleito vereador em Barra Mansa por duas vezes (1951-1955; 1959-1963), presidente da Câmara em 1959. Em 1º de fevereiro de 1983, foi eleito vice-prefeito de Barra Mansa (O prefeito foi Luiz Amaral). Filho de uma terra de poetas, como Luiz Pistarini, Gomes Leite e outros, na maturidade sua veia poética revelou-se. É um dos fundadores do GREBAL e, em 1981, reuniu seus principais trabalhos no livro Rimas de outono. Oswaldo Porto também era um trovador inspirado, caracterizando-se suas trovas, tal como suas poesias, pela simplicidade, riqueza de imagens, em versos mesclados de profunda filosofia e uma boa dose de humorismo. Figurou em várias coletâneas do GREBAL, como Trovas de Barra Mansa, Sonetos e poemas de Barra Mansa e Prosa e verso. Participou ainda de coletâneas no Rio de Janeiro e em Recife. Foi presidente do GREBAL em 1980-1981. Faleceu em 23 de abril de 1985. Em sua homenagem, o Grêmio organizou um concurso literário que resultou no livro Oswaldo Porto – Trabalhos classificados no concurso literário sobre sua vida e obra – 1985. Dados extraídos do trabalho de Wilson Montemór intitulado “O inesquecível Oswaldo Porto”.

Prosas


Notícias


Poemas