GREBAL

A HISTÓRIA DO GRÊMIO BARRAMANSENSE DE LETRAS

Os informativos Grebal


O GREBAL, como já foi dito, era amplamente apoiado pelos jornais e rádios de Barra Mansa. Além de colunas fixas, vários poemas, contos e prosas de grebalistas eram publicados em “O Líder”, O Sul Fluminense”, “Projeção”, “A Voz da Cidade”, “A Gazeta de Barra Mansa”, “Revista Panorama” e outros. Mas era vontade de todos que o Grêmio
tivesse seu próprio informativo, e até tentaram conseguir uma seção gráfica, o que não foi possível.

Em março de 1977, começou a circular o primeiro “Informativo GREBAL”, composto por uma página trazendo informações diversas sobre o Grêmio. Sua peridiocidade era
mensal. Ele circulou durante poucos meses, e foi interrompido na edição número 7.

O jornal “A Gazeta de Barra Mansa” havia sido fundado em 1982, depois foi interrompido por um período, e voltou com força renovada em 1984. Seu diretor geral era o Sr. José de Oliveira (que também dirigiu “O Líder”), o diretor responsável era José Lourenço, e o diretor assistente, Francisco Nogueira. Ou seja, o jornal era de grebalistas, e
havia ali uma grande oportunidade e vontade de criar um suplemento literário no jornal para o GREBAL. O assunto foi discutido e aprovado na reunião de 18 de maio, propagandas foram conquistadas, e na edição de 19 de julho de 1984 saía o primeiro “Gazeta Literária”, com 4 páginas grandes, contendo contos, poesias e notícias do Grêmio. Seu segundo número saiu também com 4 páginas, mas com tamanho da metade de uma página de jornal. O grebalista Evandro Marques foi um dos que mais conseguiram anunciantes para a “Gazeta Literária”. A exemplo do primeiro informativo, foram produzidos 7 números da “Gazeta Literária”.

O Jornal "A Mensagem"

O próximo informativo lançado pelo GREBAL foi intitulado “Mensagem”. A primeira menção a esse título deuse na reunião de 14 de março de 1985, quando se discutiu a possibilidade da criação de uma publicação mensal para divulgar a produção dos autores grebalistas. Para essa publicação foi aprovada a denominação “Mensagem”, por
sugestão do grebalista Álvaro Luiz Carelli Pereira. O assunto voltou à pauta no final de 1987, quando foi designado o grebalista e jornalista Irineu Saccochi para ajudar na
elaboração do informativo. Em 31 de março de 1989 foram definidas as regras para o lançamento do informativo: 1) De início a periodicidade seria irregular, de acordo com as disponibilidades financeiras; 2) A direção e estruturação do jornal ficaria a cargo de Irineu Saccochi (diretor de promoção), que indicará outros associados que o possam auxiliar; 3) “Mensagem” publicará exclusivamente textos de grebalistas, indicada sempre a autoria. Não haveria editoriais sem assinatura, tampouco matérias publicadas sob pseudônimos; 4) Matérias de não-associados seriam: as do patrono Olavo Bilac; as transcrições comentadas e com finalidade educativa; as de vencedores de concursos promovidos pelo Grêmio; e as de resposta, comunicação ou defesa, enviadas por leitores não filiados ao GREBAL. O primeiro número do jornal começou a circular em abril de 1989. Impresso na Gráfica Gazetilha em Volta Redonda, tinha oito páginas em formato tablóide. O custo de impressão do primeiro número foi de NCz$360,00 (trezentos e sessenta cruzados novos).

Dois anos se passaram até que o segundo número do “Mensagem” fosse produzido. O número dois começou a circular em agosto de 1991, graças ao grande empenho do
grebalista José Roberto Tambasco. Com oito páginas em formato tablóide, tinha como editor José Lourenço, como supervisores José Fleming, José Lourenço e José Roberto Tambasco, com composição, diagramação e arte final da Mundial Editora, de Barra Mansa. Em seu editorial, o presidente Osias de Andrade Corrêa escreveu:
“O GREBAL houve por bem fazer circular novamente o seu tablóide “Mensagem”, que se editou pela primeira vez em abril de 1989, com a finalidade de divulgar suas atividades lítero-sociais, desenvolvidas em consonância com os ideais que inspiraram a sua fundação há mais de 16 anos... Entretanto, para que a circulação de “Mensagem” se consolide esperamos contar com o apoio de todos, principalmente daqueles que, como anunciantes, demonstram louvável apreço ao serviço que procuramos prestar à Cultura, sem almejar outra recompensa que não seja o reconhecimento público.” Apesar dessas palavras, o informativo teve uma periodicidade irregular, tendo o nº 3 sido publicado em março de 1995; o nº 4, em outubro de 1995; o nº 5, em dezembro de 1995; o 6, em maio de 1996, e o último em outubro de 1996. E qual era o número do último “Mensagem”? Mais uma vez era o número 7.

A revista "A Mensagem"

Para comemorar os 20 anos do GREBAL, em 1995, foi lançada uma revista especial, com o mesmo nome do informativo. Era a revista Mensagem, com 32 páginas, contendo textos, poemas e alguns dados sobre o Grêmio. Na capa trazia uma foto do coreto do Parque Centenário, de Milton Nunes. A organização e revisão foi de Eliette de Oliveira Ferreira. A tiragem foi de 1.000 exemplares.