GREBAL

A HISTÓRIA DO GRÊMIO BARRAMANSENSE DE LETRAS

Os jogos florais


Este concurso foi elaborado pelo GREBAL, em parceria com a União Brasileira dos Trovadores, e deu certo desde o início. O primeiro foi lançado em 1978, com duas categorias: para trovadores de Barra Mansa, com o tema “Destino”, e para trovadores do Estado do Rio de Janeiro, com o tema “Poema”. A premiação ocorreu em 20
de janeiro de 1979, e os vencedores foram: Trovadores de Barra Mansa – 1º lugar – Waldir Pineschi; 2º lugar – João Dias de Souza; 3º lugar – Francisco Nogueira. Menções Honrosas: Alice Figueiredo; Evandro dos Reis Brito Sarmento; J. M. do Lago Leal; José Lourenço; Matilde Diniz Lacerda; Oswaldo Porto e Wilson Montemór. Trovadores do Estado do Rio de Janeiro: 1º lugar - Luiz Pizzoti Frazão (Niterói); 2º lugar – Elíade Mont’Alverne (Rio de Janeiro); 3º lugar – P. de Petrus (Rio de Janeiro). Menções Honrosas: Alcy R. Souto Maior (Rio de Janeiro); Daniel de Carvalho (Nova Friburgo); Hedda M. Carvalho (Nova Friburgo); José Maria M. Araújo (Rio); Maria Nascimento Santos (Rio) e Noel Bergamini (Rio).

A solenidade de premiação do concurso II Jogos Florais de Barra Mansa aconteceu no dia 8 de setembro de 1979, no auditório da ACIAP-BM. Participaram desse concurso 28 (vinte e oito) autores. Foram duas categorias. No âmbito estadual, com o tema “Mistério”, os vencedores foram Elton Carvalho (do Rio de Janeiro, que ficou com o troféu intitulado UBT-Seção de Barra Mansa); Daniel de Carvalho (de Nova Friburgo, que recebeu o troféu Grêmio Barramansense de Letras) e Noel Bergamini (Rio de Janeiro, com o troféu Imprensa de Barra Mansa). No âmbito local, com o tema “Espera”, o primeiro lugar coube a Alice Figueiredo, que ganhou o troféu Milton Rangel. Em segundo ficou Álvaro Luiz Carelli Pereira, com o troféu José Fagundes Pinto, e em terceiro, Evandro Sarmento, que levou para casa o troféu José Arneiro.

Em 1º de abril de 1980 é lançado pelo GREBAL e pela UBT-Barra Mansa o III Jogos Florais, tendo como grande apoiador o trovador Wilson Montemór. O resultado foi
apresentado na ata de 23 de setembro de 1980. A premiação foi no dia 13 de dezembro, junto com o lançamento do livro “Prosa e Verso, no Auditório da Associação Comercial.

Os III Jogos Florais de Barra Mansa teve 3 concursos de trovas: um, de âmbito nacional, com o tema “Oferenda”; outro, também nacional, com tema livre para trovas
humorísticas (nesses não participaram os autores locais) e um de âmbito municipal, exclusivo para autores de Barra Mansa, com o tema “Partida”. 900 trovas participaram
dos concursos nacionais, e 80 trovas foram inscritas no concurso municipal.

A comissão julgadora dos concursos nacionais foi composta por José Lourenço, Oswaldo Porto, Wilson Montemór, Expedito Pereira, Francisco Nogueira, Paulo José
da Rocha e João Dias de Souza. Da comissão julgadora do concurso local participaram Latour Aroeira (UBT-RJ), Carlos Guimarães (UBT-Nacional), Jacy Pacheco (Niterói), José Maria Machado Araújo (Rio de Janeiro), Lucy Sother Alencar da Rocha (Belo Horizonte) e Lécio Gomes de Souza (Corumbá-MS).

Os vencedores do concurso nacional, tema “Oferenda”, foram: 1º lugar – Clóvis Maia, de São Paulo; 2º lugar – Batista Soares, de Fortaleza, e 3º lugar – Arlindo
Castor de Lima, de Natal. Na categoria humorística os ganhadores foram: 1º lugar – Jane Paluma Teixeira, de São Gonçalo; 2º lugar – P. de Petrus, do Rio de Janeiro, e 3º lugar – Nicomedes Arruda, de Cachoeira do Macacu-RJ.

No concurso municipal, sob o tema “Partida”, o grande vencedor foi Wilson Montemór, que recebeu o “troféu Grebalista Sebastião de Paula Coutinho”. No segundo lugar ficou Francis Brasil e em terceiro José Lourenço. O mestre de cerimônias da noite foi o grebalista Álvaro Luiz Carelli Pereira.

O sucesso dos Jogos Florais continuava e incentivou o Grêmio a lançar o IV Jogos Florais de Barra Mansa, em maio de 1981, como demonstra a matéria publicada no jornal “O Líder”.

Os vencedores dos IV Jogos Florais foram: No tema “Romance”, destinado aos concorrentes de todo o País, o primeiro lugar ficou com José de Ávila (Barretos-SP); 2º
colocado foi Mauro Barbosa Armond (Conselheiro Lafaiete- MG), e em 3º, Wilma Mello Cavalheiro (Porto Alegre-RS). No tema “Crise”, para trovas humorísticas, venceram Lúcia Fadigas (Rio de Janeiro-RJ), em 2º novamente Mauro Barbosa Armond, e em 3º, P. de Petrus (Rio de Janeiro-RJ). A comissão julgadora do concurso nacional foi composta pelos membros da UBT, seção local: Francisco Nogueira; Oswaldo Porto; J. M. do Lago Leal; Expedito Pereira; José Lourenço e João Dias de Souza.

No concurso local, com o tema “Carícia”, o primeiro lugar coube a Alice Figueiredo, ficando o 2º com Eliette Ferreira e o 3º lugar com José Lourenço. A comissão julgadora do concurso local foi composta por Latour Aroeira, Maria da Conceição Pires de Mello, Jacy Pacheco, Leir Moraes (todos esses nomes da Academia Fluminense de Letras e da UBT), Ayrton Pinto Vieira (do Instituto Histórico de Niterói); José Francisco Cordeiro (do Instituto Histórico e Geográfico de Campos); Milton Nunes Loureiro (da Academia Niteroiense de Letras), e Paluma Filho (da Academia Gonçalense de Letras, Artes e Ciências).

No ano seguinte, em agosto de 1982 começava os V Jogos Florais, com duas categorias: Estadual e Local. Para o concurso estadual o tema foi “Festa” e para o concurso local foi “Barra Mansa”. Os cinco primeiros lugares de cada concurso receberam troféus e diplomas. Esse concurso foi realizado sob o patrocínio do GREBAL, da UBT-União
Brasileira dos Trovadores – Seção Barra Mansa e do Conselho Municipal de Cultura, e a premiação foi em outubro, fazendo parte das comemorações oficiais do sesquicentenário da cidade de Barra Mansa. A festa de premiação foi no auditório da ACIAP-BM, presidida pelo tenente coronel Antero Rodrigues, presidente de honra do Conselho Municipal de Cultura. Completaram a mesa principal o presidente do GREBAL, Sebastião de Paula Coutinho e o presidente da UBT-Barra Mansa, José Lourenço. O mestre de cerimônias e organizador do evento foi Álvaro Luiz Carelli Pereira. No concurso estadual, o primeiro colocado foi Ney Damasceno (Rio de Janeiro); o segundo foi P. de Petrus (Rio de Janeiro); em 3º lugar ficou José Maria M. Araújo (Rio de Janeiro); a 4ª colocada foi Marisol (Teresópolis). Em 5º lugar, Almerinda F. Liporage (Rio de Janeiro). Os vencedores do concurso local foram, pela ordem de classificação: Eliette Ferreira; J. M do Lago Leal; José Lourenço; João Dias de Souza e Oswaldo Porto.

Em 1983, não ocorreu o VI Jogos Florais. Os concursos de trovas só voltaram em 1988, com o que seria o VI Jogos Florais, agora rebatizado como VI Concurso de Trovas. Nesse concurso concorreram trovadores do Estado do Rio de Janeiro em duas categorias: trovas líricas ou filosóficas, com o tema “Vaidade”, (cujos vencedores foram: 1º lugar – Albertina Moreira Pedro (Rio de Janeiro); 2º - Dalva Guedes de Athayde (Nova Friburgo) e 3º lugar – Linda Brandão Dias, também de Nova Friburgo); e trovas humorísticas ou irônicas, com o tema “Candidato”, e teve como os vencedores José Maria M. Araújo, Carlinda Lamego e Noel Bergamini, todos do Rio de Janeiro.

Os trovadores de Barra Mansa concorreram também em duas categorias: trovas líricas ou filosóficas com o tema “Busca” (valendo o verbo buscar), tendo como vencedores
Alice Figueiredo, Paulo Rocha e Evandro Marques, e trovas humorísticas ou irônicas, com o tema “Marajá”. Coube o primeiro lugar a Wilson Montemór; em 2º ficou José Lourenço e na 3ª colocação, Paulo Rocha. A premiação aconteceu no dia 16 de dezembro de 1988.