Poema

A moça do bar - Diogo de Oliveira Silva

A moça do bar

Seus pés bailam com sua música predileta


Ela está sozinha no bar,
Com olhos cerrados ouve a canção,
A cada trago um riso no ar,
Ela tem um cigarro nas mãos.

E a noite avança enquanto ri de si mesma,
Seus pés bailam com sua música predileta,
Lábios tão secos, copo sobre a mesa,
Faz do álcool poesia completa.

Nada diz, de nada quer se lembrar,
E no mármore entoa um pranto magoado;
Força um sorriso, espalha fumaça no ar,
Deixa o mundo inteiro de lado.

Segue tarde, o copo está sempre cheio,
Tão só vê a noite passar,
Lembranças, amores, devaneio,
Sozinha na mesa do bar.