Poema

Trovas do cotidiano - Airton Campbell Rodrigues

Trovas do cotidiano

Eis uma boa razão
para o mundo crer em Deus


Lindo pra quem merece
curtir suas emoções,
o mundo também parece
um celeiro de ilusões.

Dum simples ponto de estada
de recanto natural,
foi Barra Mansa fundada
próxima do litoral.

Nada de botar a fita,
e o véu só noutras fronteiras,
o que faz mulher bonita,
é colar, brinco e pulseiras.

Banco de guardar dinheiro,
de areia ou hospitalar,
de praça ou de carpinteiro,
na sentença a executar.

Com o filhinho no colo
deixa de lado o pudor
esquece a mãe protocolo
e o peito abre sem temor.

A despeito das tensões
que provoca a tempestade,
indo os raios e os trovões
fica mais bela a cidade.

Eis uma boa razão
para o mundo crer em Deus:
Basta olhar para os que se vão
e com eles, sonhos seus.